Sexta, 25 Novembro 2016 13:32

Abraham Maslow

Escrito por
Avalie este item
(2 votos)

 

Abraham Maslow 

 Abraham Harold Maslow (1908-1970) foi um psicólogo americano, conhecido pela sua teoria da Hierarquia das Necessidades e pelos estudos que incentivaram o movimento humanista que, por consequência, trouxeram credibilidade acadêmica para a psicologia humanista. Nasceu em primeiro de abril de 1908, no Brooklin. Filho de imigrantes russos, foi o primogênito entre um total de sete irmãos.  Por influência de sua família foi estudar direito na faculdade de direito de Nova York, onde ficou por um ano e meio e se transferiu para Cornell University.

Schultz (2016, p. 338) nos conta: "Quando ele (Maslow) foi para Cornell University, sua primeira experiência com a área de psicologia o alienou quase completamente", e continua, "O curso para o qual se matriculou, dado por Titchenner era 'horrível e desanimador e não tinha nada a ver com pessoas, por isso, fiquei horrorizado e me afastei do curso' (Hoffman, 1988, p. 26)". Logo depois, Abraham Maslow se transferiu para a University of Wisconsis. Foi lá que ele encontrou uma abordagem diferente em psicologia, obtendo Ph.D. em 1934.

Porém Maslow, até então, tornara-se um entusiasta behaviorista watsoniano e era convencido de que a abordagem científica natural mecanicista podia proporcionar todas as respostas para os problemas do homem. Foi então que "uma série de experiências pessoais o levou perceber que o behaviorismo era limitado demais para lidar com os persistentes problemas do homem" (Schultz, 2016, p. 338). Foi influenciado por leituras dentro da psicologia da Gestalt e da Psicanálise, além do contato que teve com os psicólogos europeus fugidos da Alemanha nazista e instalados nos Estados Unidos, tais como Koffka, Adler, Wertheimer e Horney. O contato com esses importantes psicólogos foi possível porquê Maslow estava ministrando aulas no Brooklyn College, e foi onde suas primeiras tentativas de humanizar a psicologia tiveram consequências pessoais negativas. Ele foi considerado muito ortodoxo, fora do contexto behaviorista, os professores e seus colegas o evitavam; mas esse período era compensado pela simpatia dos jovens estudantes.

O ataque surpresa a Pearl Harbor, em 7 de dezembro de 1941, afetou Abraham Maslow. "Aquele momento mudou minha vida", escreveu ele, "e determinou o que tenho feito desde então" (Hall, 1968, p. 54). Foi a partir disso que ele decidiu dedicar-se ao desenvolvimento de uma psicologia que lidasse com os ideais humanos mais polidos. Decidiu (e não mediu esforços) trabalhar para transformar a personalidade humana, melhorando-a. Ele estava cansado das outras psicologias só prestarem atenção no lado obscuro da personalidade; no caso da psicanálise com suas histerias e complexos; e a total desumanização (na visão dele) por parte do behaviorismo. Ele era contra o determinismo na psicologia. Maslow acreditava que o ser humano era capaz de comportamentos mais nobres do que o ódio, preconceito e guerra; desviou sua energia para criar uma psicologia que tinha como foco os atributos nobres do ser humano, que estimula o que temos de melhor.

Foi entre os anos de 1951 e 1969, em Brandeis University, que desenvolveu e aprimorou sua teoria, divulgando-a em livros. E em 1967 foi eleito presidente da APA.

 

A autorrealização:

Desenvolvimento pleno das habilidades de uma pessoa e a realização do seu potencial.

Maslow tinha uma visão de que cada indivíduo é dotado de propensão inata à autorrealização (Maslow, 1970). A autorrealização seria um estado, o mais elevado das necessidades humanas, que envolve o uso de todas as habilidades e qualidades, além do desenvolvimento do potencial individual, e sua aplicação. Para que o indivíduo sinta-se autorrealizado, obrigatoriamente ele deve satisfazer necessidades de ordem inferior. Tais necessidades foram hierarquizadas em forma de pirâmide, por Maslow, daí vem o termo "pirâmide de Maslow" ou "hierarquia das necessidades de Maslow".

 

Referências:

Hall, G. S. A conversation with Abraham H. Maslow. Psychology Today, n. 35-37, p. 54-57, jul. 1968.

Hoffman, E. The right to be human: a biography of Abraham Maslow. Los Angeles: tarcher, 1988.

Maslow, Abraham H. Motivation and personality. 2ª ed. New York: Harper and Row, 1970.

Schultz, Duane P; Schultz, Sydney Ellen. História da Psicologia Moderna. 10ª ed. São Paulo: Cengage Learning, 2016

Ler 773 vezes Última modificação em Domingo, 25 Dezembro 2016 03:08
Gabriel M.

Criador do Blog PsicoLógos, discente do Curso de Formação de Psicologo pela Universidade Paulista e um completo apaixonado pelos fenômenos humanos. Acredita na promoção da igualdade através da aceitação das diferenças que tanto nos tornam especiais.

www.blogpsicologos.com.br | Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.